Ações dos próprios usuários facilitam o roubo de dados por hackers

Recentemente a imprensa divulgou novos casos de invasão de privacidade de celebridades, em que atrizes americanas tiveram suas fotos íntimas publicadas na internet sem autorização. Segundo informações, as fotos não foram roubadas de seus computadores, mas, sim, de suas contas em servidores de armazenamento de dados in cloud, ou seja, na nuvem.

Mas, na prática, o armazenamento nas nuvens não seria um ambiente totalmente seguro? De acordo com Gledson Santos, engenheiro, especialista e consultor em Tecnologia da Legado Consultoria & Comunicação, o conceito de Cloud sempre existiu, inclusive, desde que a internet surgiu e é seguro. A vulnerabilidade se dá de acordo com a forma como cada um faz uso do mesmo, garante.

“É preciso compreender que armazenar em nuvem requer determinados cuidados como sigilo de informações e nunca fornecer dados particulares de acesso. Até em uma manutenção periódica de computadores domésticos existem programas que recuperam até o que já foi apagado. Smartphones sem senha também se tornam um cofre sem chave, já que, cada vez mais, os dispositivos móveis estão sincronizados com os computadores e guardam diversas informações como senhas de banco, e-mails, cloud, etc…”, justifica.

Armazenar dados na nuvem requer cuidados. A vulnerabilidade se dá de acordo com a forma como cada um faz uso do mesmo.

O especialista reforça que os maiores ataques de hackers não se dão exatamente no Cloud, pois as proteções são muitas, mas diretamente na ponta mais fraca, que é o roubo de informações do próprio usuário. “Não adianta ter o cofre mais protegido, com guardas e alarmes se o ladrão tem a chave. Geralmente os roubos de informações se dão através de vírus ou e-mails mal intencionados nas contas dos usuários que fornecem suas senhas e dados pessoais sem saber que estão dando a chave ao ladrão. Os maiores roubos e vazamentos de dados de Cloud ocorreram dessa maneira‎, como o caso recente do I CLOUD da Apple, em que a própria empresa assegurou não ter sofrido invasões e que, provavelmente, os dados foram roubados dos próprios usuários”, ilustra.

A boa notícia é que, segundo o consultor em Tecnologia, além dos cuidados nas ações no dia a dia, o usuário, e sobretudo, as empresas, podem ainda, medir o grau de eficácia desse tipo de armazenamento antes de escolher o servidor na nuvem. “Existem diversas certificações emitidas por fabricantes de softwares e equipamentos de renome no mercado. Uma empresa que possui sua Cloud em um ambiente certificado, e também com seus próprios programas de certificações – que é o reconhecimento dos próprios fabricantes de que os sistemas estão aptos, atualizados e com pessoas certificadas para a operação, torna o ambiente em Cloud mais seguro que em um computador doméstico. Portanto, para o usuário leigo e para empresas, antes de escolher um ou outro servidor para armazenamento de dados, vale verificar com a empresa fornecedora suas certificações, tanto dos equipamentos, como das pessoas e softwares”, assegura e orienta o especialista.

Revertendo a situação:

Para os que já foram lesados, a saída é trocar as senhas usando preferencialmente vários tipos de caracteres, ter um e-mail exclusivo, apenas para cadastro em sites de compras e relacionamento, e ter outro mais seguro para troca de e-mails de uso particular, recomenda Gledson Santos. “Se tiver dúvidas sobre uma possível invasão, nunca forneça senhas, dados pessoais e de cartão de crédito. Vale ressaltar que uma empresa nunca pede dados pessoais se você não vai até ela. Se a empresa envia e-mail para confirmação de cadastro desconfie. Na dúvida ligue para o SAC ou erre a senha propositadamente uma vez para testar”, aconselha.

Dicas de proteção:

• Não baixe programas no seu computador se não for extremamente necessário e de fonte confiável;

• Não use pen drive de estranhos;

• Não abra e-mails de empresas que pedem confirmação de cadastro ou de um suposto amigo com informações suspeitas;

• Não abra e-mails de corrente, pois a grande maioria são maliciosos, trazem vírus escondidos dentro das fotos bonitas ou lindas apresentações de slides. Se for repassar, tenha certeza da fonte e coloque os e-mails em cópia oculta;

• Coloque senha em tudo;

• Armazene dados importantes em um HD externo;

• Não marque guardar senha em computadores compartilhados;

• Troque suas senhas periodicamente;

• Desabilite a opção “sincronizar automaticamente” ao transferir dados entre diversos dispositivos (notebooks, tablets e smartphones);

• Apague seus Spans sem abri-los;

• Tenha sempre um antivírus, antimalwares, confiáveis em sua máquina.