O SMS chegou ao fim?

Muitos comentam sobre a possibilidade do fim do livro impresso em virtude dos inúmeros aplicativos que permitem a leitura diretamente nos Smartphones e tablets, – há quem defenda essa migração simplesmente por uma questão sustentável, para evitar a derrubada de árvores, matéria prima do papel. Ocorre que o livro tem milhares de anos e sua idade remete a idade da própria escrita, mas outro meio de leitura parece sim, estar muito mais perto do fim: o SMS – troca de mensagens de texto entre celulares.

O fim do livro é um capítulo à parte. Sua utilidade é muito mais enraizada em todas as culturas do mundo, pois é um dos símbolos da educação e foi popularizado pela Bíblia. É difícil imaginar algum pastor levando seu leitor em baixo do braço ou algum padre beijando um tablet após a leitura de alguma passagem diretamente do seu aplicativo de leitura.
O SMS – Short Message Service, ou serviço de mensagens curtas, que no Brasil chamamos popularmente de torpedo, usado pela primeira vez em 1992, milhares de anos após os primeiros livros, parece estar com o fim muito mais próximo.
Os torpedos só foram se popularizar após a criação dos planos pré-pagos, principalmente entre os jovens, que tinham apenas essa opção se não quisessem acabar com os créditos muito rapidamente. O número de torpedos passou de 1,8 trilhão em 2007 para mais de 8 trilhões em 2011, mas esse crescimento já não é tão grande devido aos aplicativos de IM – Instante Message, como WhatsApp, BBM – BlackBarryMassage, Viber , Skype, iMassage, dentre outros.
O crescimento do SMS já esta bem abaixo do aumento do uso dos aplicativos para troca de mensagens. A consultoria inglesa Ovum aponta que somente em 2011 o prejuízo das operadoras devido a concorrências desses aplicativos foi de no mínimo 13,9 bilhões de dólares. Não é a toa que as operadoras criaram planos de tarifa única diária para o envio de SMS ilimitado, para tentar evitar esse decréscimo do uso do envio das mensagens, que já não é tão barato assim.
A troca dos celulares comuns pelos Smartphones com acesso a internet e conexão WiFi, os preços mais populares de acesso a internet, inclusive com tarifas flexíveis para Smartphones pré-pagos, tem feito com que o uso desses aplicativos fiquem cada vez mais comuns.
Em geral esses aplicativos já estão embarcados quando se compra o celular, como no caso do iMassage para o iPhone e o BBM para os BlackBarrys, mas como a comunicação só se dá entre usuários que possuam o mesmo aplicativo, o download de Apps como o WhatsApp e Skype, que funcionam em qualquer sistema operacional, como o Windows Phone, Android e iOS, tem crescido vertiginosamente.
A experiência desses aplicativos que permitem troca rápida de mensagens, como um chat, envio de fotos e arquivos ou até mesmo vídeo chamadas, bastando apenas que os usuários compartilhem do mesmo aplicativo e tenham um plano de dados, esta fazendo com que as operadoras repensem o uso do SMS.

Muitas empresas já têm incentivado o uso desses aplicativos para diminuir os custos com os torpedos ou têm se preocupado em desenvolver seus próprios aplicativos que permitem a comunicação apenas entre os funcionários.

Na outra mão as operadoras estão buscando alternativas interessantes para o uso do SMS, como o USSD – Unstructured Supplementary Services Data, Serviços Suplementares de Dados não estruturados, que são aqueles serviços que enviam mensagens de perguntas aos usuários no estilo quiz: “Você quer concorrer a um carro 0km?, envie 1 –Sim, 2-Não”. Também muito usado como sistema de pagamento em substituição aos cartões de crédito, como o PayPal.
Esses sistemas USSD, que usam o SMS estão sendo vendido pelas operadoras apenas para empresas, trazendo diversas funcionalidades, como abertura e fechamento de chamados, que podem ser usados por empregados que ficam foram do escritório resolvendo problemas e precisam finalizar ou reenviar os chamados, como por exemplo, ao término da instalação ou conserto da sua TV a cabo ou do seu carro pelo mecânico da sua seguradora.
Bancos e empresas que desejam fazer ações de Marketing também usam muito esse tipo de serviço, principalmente para divulgar promoções e ter resultados rápidos.

 Gledson Santos é especialista e consultor em vendas e projetos de TI na Legado Consultoria & Comunicação, gerente de negócios na Telefonica|Vivo e Palestrante nas áreas de vendas e tecnologia.